Apresentação Geral dos Resultados do Seminário - Políticas Públicas e Financiamento para Desenvolvimento Agroflorestal no Brasil
Busca
 
Publicada em: 08/12/2004 Seção: Políticas públicas  

FINATEC (UnB), Brasília, 18-20 de agosto de 2004

Apresentação

Os sistemas agroflorestais (SAFs) constituem alternativas de uso da terra, consorciando culturas agrícolas ou pastagens com espécies florestais. Na sua grande maioria, as ONGs brasileiras voltadas para o desenvolvimento rural estão difundindo o uso de SAFs com reflexos positivos sobre a renda familiar, a recuperação de terras degradadas e a geração de serviços ambientais. A adoção de SAFs no Brasil continua crescendo. Porém, apresenta uma série de falhas, as quais, para serem corrigidas, requerem maior apoio financeiro e medidas inovadoras nas políticas publicas.

Com o objetivo de definir estratégias participativas para acelerar e aprimorar o desenvolvimento agroflorestal – principalmente no âmbito da agricultura familiar –, dando prioridade a critérios e diretrizes que devem governar as políticas públicas e as estratégias de apoio financeiro, realizou-se o seminário nacional Políticas Públicas e Financiamento para o Desenvolvimento Agroflorestal no Brasil, entre os dias 18 a 20 de agosto de 2004, em anfiteatro da Finatec, no campus da Universidade de Brasília. O evento, que contou com recursos patrocinados pela Fundação Ford e pela Fundação Charles Mayer pelo Progresso do Homem - FPH, foi uma iniciativa do Instituto Rede Brasileira Agroflorestal - Rebraf, em parceria com o Projeto de Apoio ao Monitoramento e Análise - AMA, do Programa Piloto para a Proteção das Florestas Tropicais do Brasil, vinculado à Secretaria de Coordenação da Amazônia do Ministério do Meio Ambiente, com o Instituto Internacional de Educação do Brasil - IEB e com o Centro Mundial de Agroflorestas - ICRAF.

O seminário foi composto por cinco mesas, cada uma delas formada por um coordenador – função desempenhada por um indivíduo fortemente envolvido com a implantação de práticas agroflorestais ou alternativas de uso do solo junto a produtores rurais – e por executores de programas governamentais e de financiamento. Ao coordenador coube fazer uma breve apresentação dos problemas que os produtores rurais enfrentam quanto ao acesso e à utilização de programas de política e fomento governamentais – nacionais e internacionais – destinados àquelas práticas e ao grupo alvo em causa. A apresentação dos coordenadores foi seguida por painéis, nos quais os executores de programas governamentais e de financiamento debateram idéias sobre como estes programas podem se tornar mais acessíveis e eficazes.

Relatório Geral do Seminário (conforme trabalho apresentado no Congresso Brasileiro de SAFs, Curitiba 2004, submitido para publicação nas Atas do evento)

Os temas abordados e os coordenadores dos respectivos painéis foram os seguintes (clique nos links abaixo para fazer download dos relatórios em formato PDF):

  1. Beneficiamento e comercialização de produtos agroflorestais (coord: Luiz Villares, AdaT);
  2. SAFs e Segurança Alimentar no meio rural (coord: Maria Adelina Souza, MIQCB);

Após amplo debate entre membros dos painéis e integrantes da platéia, composta ao todo de 72 representantes de diversas organizações governamentais, de pesquisa e ONGs do Brasil, América Latina e Europa, seguiu-se a formação de grupos de trabalho temáticos visando a produção de diretrizes concretas e viáveis capazes de acelerar e otimizar o desenvolvimento agroflorestal no Brasil.

Nesta publicação, apresentamos também os principais resultados dos trabalhos dos grupos formados no seminário, e as recomendações para próximos passos nessa direção.

Grupos de Trabalho: (clique nos links abaixo para fazer download dos relatórios em formato PDF)

Grupo I - Parcerias

Grupo II - Mercado

Grupo III - Segurança alimentar

Grupo IV - Créditos e serviços ambientais

Grupo V - Dispositivos Legais

Próximos Passos

 

Rio de Janeiro, novembro de 2004.

Peter H. May, PhD
Secretário Executivo da REBRAF

 

Local: Brasília - FINATEC (UnB)
Datas: 18-20 de agosto de 2004
Apoio: Projeto AMA/PPG-7 e Instituto Internacional de Educação do Brasil - IIEB
Patrocínio: Fundação Ford, ICRAF e FPH
Por: Rebraf
 
Outras matérias:

anterior < Créditos de Carbono e a sustentabilidade da Amazônia

Duran

...

Versão para impressão: